logo para estamparia

Logo para estamparia: como definir uma logo atrativa

O logo é, sem sombra de dúvidas, um elemento que serve para fixar a marca da estamparia na mente dos clientes, e por isso, jamais deve ficar em segundo plano.  Não existe uma fórmula pronta para definir uma logo criativa, entretanto, alguns passos devem ser seguidos para garantir o melhor resultado.

Qual é a importância da identidade visual para a estamparia?

Assim como não conseguimos decolar em um voo sem a carteira de identidade, uma estamparia não decola com seu crescimento sem ter uma identidade visual, pela qual será conhecida. Uma série de passos precisa ser seguida para que um logo de qualidade seja criado, mas o mais importante é deixar a criatividade e a originalidade fluírem nesse momento, seja você mesmo fazendo ou em conjunto com um designer.

Como definir uma logo atrativa para a estamparia?

logo para estamparia

Dicas logo para estamparia. | Imagem: Freepik

Tenha consciência plena do seu negócio

Antes de começar a planejar a logo da estamparia, algo que deve estar bem definido é a consciência do seu negócio, a essência que move a empresa: seu público-alvo, nicho, objetivos e até mesmo inspirações, etc. Logo, para que a logo expresse mais do que apenas um símbolo, e sim a essência, fazendo com que os clientes lembrem dos seus serviços, e ainda mais do que isso, dos resultados, é necessário ter em mente a essência e os objetivos da empresa.

Busque inspirações, mas seja original

As inspirações são necessárias para estimular a criatividade e até mesmo para conseguir tirar aquela ideia da mente direto para o papel, e assim, ser colocada em ação. Entretanto, a originalidade será o diferencial da sua marca, e cópias podem trazer muitas consequências difíceis, até mesmo jurídicas. Por isso, procure se inspirar mas não usar elementos que estejam inseridos em outras marcas e logos.

Faça um brainstorming e depois um briefing

Depois de colocar os dois passos acima em prática, um brainstorming é uma ótima maneira de descarregar todas as ideias, para depois filtrá-las e organizar da melhor forma.

O brainstorm consiste em literalmente uma chuva de ideias, em que você irá colocar em papel ou em um bloco de notas todas as ideias e inspirações que vem a sua cabeça, deixando a mente livre para depois apenas executar a tarefa. Após concluir esse processo, faça um briefing (mesmo que não haja profissionais ou terceiros envolvidos na confecção da logo), para usar como base na hora do esboço.

Esboço

Uma das partes mais importantes chegou! O esboço é o início, é o embrião que dará forma a logo, assim que for desenvolvido. Nesse momento, você pode fazer mais de um esboço, para depois desenvolver o que mais houver afinidade com a proposta da marca, ou até mesmo fazer uma logo híbrida de duas ideias esboçadas. Nessa hora não há regras, deixe a criatividade fluir!

Desenvolva

Após ter os esboços prontos, poderá escolher o que melhor se comunica com a proposta da marca e finalmente desenvolver o protótipo, a primeira versão. Sabemos que é muito difícil começar algo do zero e usar a primeira versão de cara, não se cobre tanto. Dê o melhor de si!

Peça opiniões e veja a logo aplicada em algum material

Com a primeira (ou as primeiras) versão desenvolvida, peça a opinião de profissionais de sua confiança e pessoas que estão acompanhando o processo de desenvolvimento da estamparia, pois quem vê de fora muitas vezes pode contribuir de forma significativa. Outra forma interessante de ter uma perspectiva diferente da logo é aplicando em algum material: desenvolvendo um flyer, um banner ou até mesmo um post para redes sociais que contenha a arte, para verificar como fica o resultado final.

Com isso, terá uma boa para saber se deverá fazer alterações ou não.

Faça alterações necessárias

Após a percepção e validação, não deixe lacunas de tempo, faça as correções necessárias com as ideias ainda frescas na mente, assim, você garante não perder nada importante.

Desenvolver uma logo atrativa pode parecer uma missão complicada muitas vezes, mas com alguns passos sendo seguidos da forma correta, com certeza tudo se descomplica e coopera para o crescimento da estamparia.

Esperamos que você goste das dicas de como desenvolver uma logo atrativa para que serve, caso tenha ficado com alguma dúvida, fale conosco nos comentários, que nós vamos te ajudar!

Para saber mais novidades sobre o mundo da estamparia, técnicas e avanços na área, acompanhe nosso blog!

dicas para montar uma loja de estamparia

Como abrir uma loja de estamparia do zero?

Muitas pessoas hoje em dia querem fazer uma renda extra ou até mesmo realizarem o sonho do empreendedorismo, sendo uma ótima ideia começar uma loja de estamparia. Entretanto, muitos ficam com medo e não sabem como abrir uma loja de estamparia do zero. Pensando nisso, preparamos este guia completo om todas as informações para você começar, confira:

O que é uma loja de estamparia?

De forma simplificada, a loja de estamparia é uma empresa que confecciona diversos tipos de produtos estampados, e vai desde a estampa até a impressão final e entrega do produto ao cliente. Quanto maior a sua gama de produtos personalizados, maior será a retenção de clientes.

É de escolha do proprietário usar um espaço físico para a criação da estamparia, mas pode também ser uma loja virtual, um e-commerce em que os produtos ficam a venda já prontos, e você precisará fazer o envio dos materiais aos clientes, sempre deixando o estoque do site atualizado para não deixar os clientes na mão.

Como abrir uma loja de estamparia do zero?

dicas loja estamparia

Confira nossas dicas para abrir sua loja de estamparia. | Imagem: Novo Negócio

Física ou digital, o passo a passo para abrir uma loja de estamparia do zero são iguais ou sempre muito semelhantes. É necessário sempre planejar tudo com calma e fazer todas as recomendações, para que todas as engrenagens do seu negócio estejam alinhadas. Alguns destes passos são:

Planejamento: o mais importante de tudo

Precisamos de planejamento para fazer qualquer coisa na vida. Uma empresa, para dar certo, não é diferente! Logo, o primeiro passo deve ser fazer um descarrego (pode ser em papel, no Word do computador ou no local de sua preferência) de todas as ideias, do que quer fazer, do que já sabe que deve ser executado… Tudo! O que passar pela sua cabeça que julgar importante, anote, e depois organize tudo de forma sistematizada, para partir direto para a ação, e tenha também em mãos um orçamento pré-definido para investimento na sua estamparia.

Público-alvo: para quem eu quero vender?

Tão importante como planejar o funcionamento da empresa, é saber quem será o seu público comprador. O que adianta fazer uma estamparia com diversas variedades de cores vibrantes e alegres, se as estampas forem de bandas de rock, por exemplo? O público-alvo dessas estampas não busca as cores que está oferecendo. Logo, esteja com este item alinhado. Algo que pode ajudar nessa delimitação é a variedade de produtos que irá trabalhar: se vender apenas roupas, será um público x, se vender roupas e acessórios personalizados de estamparia, público y, por exemplo.

Estrutura e espaço: físico ou digital?

Chegou a hora de definir sua estrutura. Se for um espaço físico, vai desde o aluguel a estruturação de todo o espaço para comportar a estamparia, bem como a comunicação visual do lado de fora para que os clientes encontrem a loja; se for uma loja virtual, vai desde a compra do domínio a integração com os meios de pagamento mais usados.

Equipamentos: o que é fundamental para começar?

Para iniciar, não compre todos os equipamentos do mundo da estamparia que estiverem à disposição. Aposte no básico e no essencial que não ultrapasse seu orçamento, para que assim que o lucro começar a surgir, possa reinvestir em mais equipamentos.

Burocracias: quais são as documentações obrigatórias?

Abertura de CNPJ, abertura de firma, cadastro na prefeitura para emissão de nota fiscal, alvará de funcionamento, máquina de cartão… Essas são apenas algumas das burocracias obrigatórias para todas as empresas. Há ainda a compra de domínio para o site e outras coisas, que vão sendo avaliadas com o tempo. Logo, esteja atento a todas essas questões!

Marketing: a alma do negócio

Depois que o negócio já começou a rodar, é necessário, além do trabalho, a divulgação para atração de novos clientes, pois quem não é visto, não é lembrado! Invista nas redes sociais e esteja sempre atualizando com os novos trabalhos da estamparia.

Agora que você já sabe tudo o que é preciso para abrir uma  loja de estamparia do zero, persista, insista, faça o seu melhor e verá seu negócio crescer cada vez mais. Caso tenha ficado com alguma dúvida, fale conosco nos comentários, que nós vamos te ajudar!

Para saber mais novidades sobre o mundo da estamparia, técnicas e avanços na área, acompanhe nosso blog!

 

 

o que é policromia

Como utilizar a policromia em estampas?

Hoje em dia existem diversas técnicas que garantem cada vez mais a qualidade das impressões, revelações, estampas e demais materiais gráficos, o que faz do mercado uma área em expansão constante, e uma dessas técnicas é a policromia, utilizada há muitos anos, mas que muitos ainda não sabem sua real importância. Entenda o que é, como utilizar a policromia em estampas e muito mais conosco, confira:

O que é a policromia?

Essa técnica, é uma arte ou reprodução feita com várias cores em um mesmo trabalho, através da combinação das três cores primárias amarelo, ciano, magenta mais o preto, que realça os contrastes das outras três cores.

Na serigrafia e na estamparia, o processo de policromia é a impressão em que quatro cores básicas são combinadas: o ciano, magenta, amarelo e preto, a conhecida sigla CMYK, e que a partir dela, conseguimos reproduzir quaisquer outras cores.

Com essa técnica, conseguimos fazer estampas mais detalhadas, de melhor resolução, com linhas mais finas, texturas melhores e até mesmo fotografias. É um toque de qualidade todo especial que dá diferença no acabamento!

Como é feito o processo?

Para que essa técnica seja feita, é necessário usar um fotolito impresso que, posteriormente, fica em uma matriz reticulada. Assim, para fazer a policromia, é feita a separação em quatro cores, a CMYK.

Quando usar a policromia?

O ideal é usar a policromia para estampas em fotografias, ilustrações com detalhes, camisetas com fundo claro, etc. Esta técnica garante a qualidade e o acabamento da estampa em malhas mais claras e brancas.

Em quais malhas ou tecidos é possível utilizá-la?

Vale ressaltar que o processo só pode ser feito em malhas e tecidos bem claros ou mesmo brancos, com fundos pretos ou mais escuros, somente outras técnicas ou a policromia adicionada a outras formas poderão ser usadas, para obter bons resultados.

Enfim, a policromia traz o que há de mais tradicional e, ao mesmo tempo, inovador na serigrafia e estamparia, visto que seu uso é amplamente prático e com ele, é possível chegar a todos os tons de cores!

Esperamos que você tenha entendido as principais questões sobre a policromia e as perguntas mais frequentes sobre o assunto. No entanto, caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, basta comentar aqui que nós te esclarecemos.

No mais, para saber mais novidades sobre o mundo da estamparia, técnicas e avanços na área, acompanhe nosso blog!

plano de marketing para estamparias

Plano de marketing para estamparias: por onde começar?

Muitas pessoas que possuem uma estamparia desejam obter sucesso e melhores resultados. No entanto, nem todas sabem que um plano de marketing pode contribuir (e muito) para isso.

Porém, é essencial que você tenha em mente que para criar um plano para sua estamparia, você precisa saber que o mesmo deve ser condizente à sua realidade e alinhado às suas expectativas, só assim você garantirá que os resultados serão atingidos e que você terá sucesso no seu negócio.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para que você tire as ideias do papel e saiba como começar o seu plano de marketing. Então se esse assunto te interessa, basta continuar a leitura para conferir.

Por que o plano de marketing é tão importante para sua estamparia?

Antes de mais nada, precisamos te falar qual é a importância de ter um plano de marketing para sua estamparia. Pois bem, o plano irá te ajudar a definir quais serão as melhores estratégias de marketing para a empresa de acordo com seus objetivos e com o público-alvo a fim de garantir a melhor divulgação dos seus produtos.

Sem um plano de marketing bem elaborado, provavelmente você não saberá muito bem o que fazer e nem qual é o público que você precisa atingir, sendo difícil de alcançar os resultados desejados.

O que é necessário saber antes de começar?

O plano de marketing para estamparias é composto por diversas etapas, sendo necessário avaliar cada uma delas criteriosamente. Há algumas delas que devem ser feitas antes mesmo de começar a traçar suas estratégias, como:

  • Definição dos objetivos da estamparia a curto, médio e longo prazo;
  • Realização de um estudo de mercado para analisar a concorrência e reconhecer quais são os diferenciais da sua empresa frente ao mercado;
  • Definição de público-alvo e persona de acordo com seus objetivos e produtos comercializados.

Plano de marketing para estamparias: saiba como começar

dicas sobre plano de marketing

Veja dicas para o marketing da sua estamparia. | Imagem: Freepik

Agora que você já tem objetivos, público-alvo, persona e estudo de mercado definidos, é hora de partir para o seu plano de marketing. Lembre-se de ter muita atenção em cada uma das etapas para obter muito sucesso durante a sua execução, ok?

São etapas essenciais para um plano de marketing eficiente:

1 – Defina quais as estratégias serão adotadas

Bom, o primeiro de tudo para um plano de marketing de sucesso é definir quais serão as estratégias que você pretende adotar para a sua estamparia. Neste momento, muitos estudos e pesquisas são bem-vindos, afinal de contas, existem inúmeras estratégias e você precisará saber quais mais darão certo com o seu negócio e mais conversam com o seu público.

2 – Determine quais ações serão realizadas

Com as estratégias definidas, é hora de definir também quais serão as ações a serem realizadas no seu plano de marketing para estamparia. Vale dizer que são ações muito utilizadas para essa finalidade: criação de um site e loja virtual, posts nas redes sociais da empresa, ações de e-mail marketing, blog corporativo, contratação de digital influencer e campanhas pagas (como o Facebook e Google ADS).

3 – Planeje os aspectos financeiros do plano de marketing

Agora é hora de fazer uma estimativa financeira mensal. Ou seja, definir qual é o valor investido nas ações e nos recursos do seu planejamento. Aqui você precisa fazer um controle eficiente do orçamento para que o investimento seja eficiente para você saber se o retorno está, de fato, sendo satisfatório para você.

4 – Estabeleça um cronograma de execução

Antes de colocar em prática, é hora de criar um cronograma de execução. Assim você poderá alinhar e estruturar, juntamente aos seus colaboradores, quando e como cada uma das ações do plano de marketing serão realizadas.

5 – Coloque em prática as ações

E, por fim, chegou a hora! Com tudo definido você deverá seguir o seu plano para colocar em prática as ações definidas anteriormente para sua estamparia. No entanto, vale ter em mente que o plano poderá mudar sempre que necessário caso você perceba que alguma das ações não esteja surtindo o efeito desejado.

Bom, esperamos que você possa ter compreendido quais são os passos para realizar um bom plano de marketing para sua estamparia. Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, basta comentar aqui que nós te esclarecemos.

Ah, e para mais dicas e informações sobre estamparias e empreendedorismo, continue acompanhando o nosso blog. Te esperamos por aqui nos próximos posts!

criar marca de roupa

Criar marca de roupa: veja o passo a passo para criar sua marca de camisetas

Para quem está buscando um negócio lucrativo para empreender, precisamos dizer que o ramo de camisetas e estamparia é uma excelente opção. Isso porque é bastante abrangente, estando presente em todos os guarda-roupas (femininos, masculinos e infantis) e é muito rentável. No entanto, criar uma marca de roupa exige muita atenção e cautela.

E foi pensando nisso que criamos o post de hoje: para te ajudar a compreender quais são os passos necessários a serem tomados para criar sua marca de roupa e ter sucesso no ramo de estamparia. Se interessou? Continue a leitura e confira!

Saiba como criar marca de roupa em 4 passos

Como dissemos anteriormente, criar sua própria marca de camisetas é uma excelente opção para quem deseja empreender com boa lucratividade. Porém, para obter sucesso no processo, é importante tomar alguns cuidados. Alguns deles são referentes aos passos necessários para a criação da marca. Confira a seguir:

1º passo – Escolha o nome da sua marca de roupa

Bom, este é o primeiro passo para toda e qualquer empresa que está prestes a inaugurar. E já adiantamos: embora pareça fácil, muitas vezes é bastante complicado definir o nome da sua empresa. Afinal de contas, o nome ficará para sempre e você precisa ter certeza da sua decisão.

Vale dizer que será o nome que vai chamar atenção do seu público ao seu negócio e ainda é ele quem fará os consumidores lembrarem do seu negócio. portanto, nunca crie um nome igual ou semelhante a uma marca já existente ou defina na correria, ok?

Faça uma pesquisa de mercado, pense bastante e dedique o tempo necessário até que você fique satisfeito com a sua decisão. E não se esqueça que neste momento é indispensável fazer uma pesquisa no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) para verificar a disponibilidade do nome e se possível já realizar o registro, somente assim você garante que o nome será de sua autoria.

Dica extra: o ideal é que seja um nome curto e de fácil pronúncia. Isso contribuirá para que os consumidores consigam memorizá-lo com facilidade e, quando combinado a uma boa identidade visual, faça com que sua marca seja reconhecida no mercado.

2º passo – Crie sua identidade visual

Com o nome definido, é hora então de criar a sua identidade visual. Neste momento é bom levar em conta que se trata de uma marca de roupa, ou seja, você precisa passar credibilidade e segurança na sua identidade visual para que os clientes confiem em você em relação à criação de estampas personalizadas.

Então nada de criar um logotipo amador, hein? Capriche muito e faça com que sua marca seja única e impactante! Assim ela poderá ser reconhecida pelos seus consumidores com facilidade.

Vale dizer que a identidade visual pode agregar, além do logo:

  • Logotipo;
  • Site;
  • Etiquetas e tags;
  • Cartão de visitas;
  • Fachadas (em caso de lojas físicas);
  • Layout de e-mail;
  • Capas e posts para redes sociais;
  • Panfletos;
  • Embalagens para envios;
  • Entre outros.

3º passo – Encontre os fornecedores

marca de roupa

Encontre fornecedores para sua marca de roupa. | Imagem: Freepik

Agora você já possui nome e identidade visual e já está quase tudo pronto para sua marca de roupa sair do papel. Mas nada disso será possível caso você não tenha bons parceiros ao seu lado. Por isso, busque referências no mercado de profissionais atacadistas que poderão lhe oferecer camisetas de qualidade e preço justo para garantir a produção das peças e contate-os.

Neste momento é necessário ter muita atenção. Isso porque caso você opte por um fornecedor sem qualidade, automaticamente o seu trabalho também será prejudicado e junto dele a sua reputação. Então analise com carinho e se possível veja todas as opções disponíveis para certificar-se de que está fazendo uma boa escolha.

4º passo – Defina o plano de divulgação da marca de roupa

Chegando ao 4º passo você já possui basicamente toda a estrutura necessária para a abertura da sua marca de roupa. Agora você precisará, além de definir como será feita a impressão (por conta própria ou terceirizada), definir o plano de divulgação da marca de roupa, pois é isso que fará com que sua empresa seja conhecida pelo seu público-alvo e comece a realizar vendas.

Em caso de lojas online, uma boa estratégia é utilizar das redes sociais. Elas são vistas como uma vitrine e contribuirão bastante para a sua divulgação, seja por meio do tráfego pago ou orgânico.

Conclusão

É isso! Esperamos que você tenha conseguido compreender quais são os 4 passos essenciais para a abertura de uma marca de roupa. Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o assunto, não deixe de comentar aqui que nós te esclarecemos.

Ah, e se você quiser recomendação de um fornecedor de excelente qualidade para sua marca, não deixe de acessar o nosso site para certificar-se de tudo que a Disque Camisetas pode fazer por você!

No mais, continue acompanhando o nosso blog para mais dicas e informações sobre camisetas e estamparia como essa. Nos vemos por aqui!

resolução da imagem

Entenda a importância da resolução da imagem na hora de estampar com sublimação

Uma coisa é fato: todo mundo que trabalha com estamparia almeja entregar um bom resultado para os seus clientes. Portanto, há um fator que não é todo mundo que sabe, mas que faz toda a diferença para o resultado final das camisetas estampadas. Estamos falando da resolução da imagem, um dos fatores essenciais para garantir o resultado esperado.

E é sobre isso que falaremos no post de hoje: a importância que a resolução da imagem exerce na hora de estampar com sublimação. Caso você tenha se interessado pelo assunto, basta continuar a leitura para conferir. Vem com a gente!

Entenda a relação entre a resolução da imagem e a estampa por sublimação

Como foi dito anteriormente, entender a relação entre resolução da imagem e a estampa por sublimação é indispensável para garantir qualidade do trabalho em uma estamparia. E te explicamos o motivo abaixo. Veja só.

Antes de mais nada você precisa entender que a resolução da imagem é vista como a nitidez de detalhes de uma imagem bitmap, a qual é medida em pixels por polegada (PPI) através de monitores ou pontos por polegadas (DPI) para impressão.

Para chegar ao resultado da resolução da imagem serão levados em conta alguns fatores, como por exemplo a relação existente entre o tamanho da imagem e a sua densidade (altura x largura), sempre associada a quantidade de pixels dessas dimensões.

a relação do pixel para a resolução da imagem

Entenda a relação do pixel para a resolução da imagem. | Imagem: Freepik

O pixel, por sua vez, é considerado um elemento básico na composição de imagens bitmaps, sendo a unidade de medida para imagens digitais. Com isso, ele tem como formação um conjunto de pontos de cores individuais, tornando-o limitado para manipulação e redimensionamento e precisando de bastante cuidado para preservar a resolução da imagem e garantir boa qualidade da estampa.

Já se tratando da imagem vetorial, ela é composta por fórmulas matemáticas e instruções de desenho com propriedades definidas (como é o caso de preenchimento, cor padrão, espessura do traço, entre outros). Sendo assim, podemos afirmar que a imagem vetorial possui diversas informações as quais podem ser manipuladas e redimensionadas sem que haja perda de qualidade.

No entanto, ambas as imagens (bitmap e vetorial) podem ser usadas como estampas para sublimação, desde que você tenha em mente que a sua resolução deverá ser verificada e poderá sofrer alterações, especialmente na bitmap, em grandes formatos. Tome cuidado com isso para garantir bom trabalho, ok?

Antes de definir qual imagem utilizar, leve em consideração alguns detalhes como: tamanho da estampa, formato do trabalho, ferramenta utilizada e, se possível, faça um teste. Assim o seu trabalho não se comprometerá e você garantirá qualidade na entrega e satisfação do seus clientes.

Conclusão

Bom, é isso! Esperamos que você tenha conseguido compreender qual é a importância da resolução da imagem para a impressão em sublimação. Caso tenha ficado com alguma dúvida em relação a este assunto, não deixe de comentar aqui que nós te esclareceremos.

No mais, se quiser continuar acompanhando mais dicas e informações sobre camisetas, estamparias e empreendedorismo, basta continuar acompanhando o nosso blog. Te esperamos por aqui nos próximos posts!

como definir público-alvo

Como definir público-alvo para estamparias?

Você sabe o que é público-alvo e como esse conceito pode interferir diretamente no sucesso do seu negócio? Pensando nisso, preparamos um post completo para esclarecer algumas dúvidas e ajudá-lo a definir, de maneira certeira, qual o público-alvo da sua estamparia. Acompanhe!

O conceito de público-alvo

O público-alvo, ou mercado-alvo, nada mais é do que um conjunto de pessoas com características similares ao qual um negócio está direcionado. 

Vale ressaltar que o público-alvo não configura, necessariamente, o montante de clientes que irá de fato adquirir um produto ou serviço oferecido pela empresa. Esse é um conceito de caráter muito mais geral. 

Em vez disso, podemos dizer que essa será a parcela de pessoas que possuem uma maior pré-disposição a fecharem um contrato com você. Assim, é necessário que suas estratégias e campanhas de marketing estejam alinhadas a esse grupo.

Afinal, que sentido há em criar anúncios para atingir mulheres da terceira idade, por exemplo, se a sua loja de camisetas produz abadás para festas universitárias? Nenhum, pois o público-alvo de seus produtos não contempla essa faixa etária!

Por isso, preparamos algumas dicas valiosas para auxiliá-lo.  Confira a seguir!

Como definir o público-alvo

1# Entenda o mercado

Primeiramente, é preciso que você analise o mercado em que está inserido. Para isso, coloque-se no lugar de seus consumidores e busque entender quais são suas preferências e necessidades. 

Além disso, procure investigar como é a atuação da concorrência. Qual o diferencial deles? Quais pontos podem ser melhorados? Como são elaborados seus anúncios? Quais os principais canais de comunicação que utilizam?

Por fim, esteja por dentro das tendências atuais, acompanhe os noticiários, visite exposições, feiras de negócios entre outros. Isso o ajudará a manter-se atualizado e a descobrir novos jeitos de atrair outros consumidores.

2# Faça pesquisas

Não se guie pelo que você “acha” que é o melhor a se fazer. Lembre-se que, para obter um resultado preciso, é importante ter dados reais, de clientes reais

Nesse sentido, os questinários e formulários online são ótimas ferramentas. Abuse de sites como o Typeform, Google Forms e Survey Monkey para conseguir resultados ainda mais efetivos. 

Outra opção é buscar dados provenientes dos institutos de pesquisas. O Serasa Experian e o IBGE, por exemplo, contam com uma grande base de dados que ajudarão a entender e traçar melhor o perfil de seus consumidores. 

3# Delimite seu público

Sabe aquele ditado que diz que não podemos “abraçar o mundo”? Pois bem, ele também se aplica às estratégias de marketing!

Um dos principais erros na elaboração de uma campanha é o de tentar atingir o maior número de pessoas possível. Ao tentar fazer isso, você corre o risco de acabar não agradando a quase ninguém.

Ademais, quando se sabe exatamente para onde “mirar”, as chances de acertar o alvo são muito maiores. Portanto, procure adotar critérios específicos para delimitar seu público, como os elencados a seguir:

  • Demográfico: Gênero; Idade; Renda; Nível de educação; Estado civil.
  • Geográfico: em qual região seus clientes moram?
  • Tipo de consumidor: o produto que você vende é destinado a pessoas físicas ou jurídicas?
  • Geração: a qual geração a maioria de seus consumidores pertence? Geração X, Millenial, Z ou Baby Boomer?
  • Ciclo de vida: seu público é predominantemente casado ou solteiro? Já possui filhos, netos? 

Levando em consideração todos esses aspectos, com certeza será muito mais fácil de definir o público-alvo de sua estamparia! Esperamos que tenha aproveitado as dicas e que continue acompanhando nossos posts

 

KPI

O que é KPI e como ele pode te ajudar a lucrar mais em 2021

O KPI, ou Key Performance Indicator, é um recurso extremamente útil para os gestores de qualquer negócio. Quer descobrir o porquê e como ele pode ajudá-lo a lucrar mais neste ano? Então confira nosso post. Boa leitura!

O que é KPI?

Em tradução livre para o Português, a sigla KPI significa Indicador-Chave de Performance e tem como principal finalidade avaliar o desempenho de uma empresa. 

Ao utilizá-lo, o gestor consegue mensurar se os objetivos traçados pela equipe estão, de fato, sendo atingidos. Dessa forma, é possível analisar quais as melhores medidas e decisões a serem tomadas para chegar aos resultados desejados.

O melhor é que essa é uma ferramenta que pode ser utilizada por qualquer tipo de empresa, não importando o seu porte. Mas, para que realmente funcione, é necessário considerar as especificidades de cada negócio antes de escolher quais os tipos de KPIs serão implementados.

A seguir, elencamos alguns dos principais pontos que devem ser levados em consideração na hora de  fixar metas e estabelecer os indicadores de desempenho.

Como definir os KPIs?

O método SMART é um dos melhores e mais utilizados atualmente para auxiliar na criação de KPIs.

Advinda do inglês, essa é uma palavra composta por cinco terminologias importantes: S (specific/específico), M (measurable/mensurável), A (attainable/atingível), R (relevant/relevante), T (time based/temporal).

Nesse sentido, o primeiro ponto a ser considerado para definir um objetivo é que ele seja específico. Por isso, nada de ideias muito gerais. Em vez de fixar uma meta baseada apenas em “aumentar o lucro da empresa”, tente ser mais claro e menos genérico, por exemplo “aumentar o lucro em 15% através do site da empresa”. 

Além disso, a meta precisa ser mensurável por meio dos KPIs. Nesse sentido, ao elaborá-la, é importante ter em mente qual é o resultado almejado e qual o período de tempo que levará para ser atingido. 

Vale ressaltar que de nada adianta que a meta seja específica e mensurável, mas inalcançável. Assim, é necessário que o planejamento seja feito de forma realista, buscando propor objetivos atingíveis. Aqui, sugerimos analisar com cuidado a parte financeira da empresa e ouvir com atenção a opinião da equipe. 

A relevância também é uma questão muito importante. Ela poderá reduzir a motivação dos funcionários caso percebam que não há sentido em se esforçarem para alcançá-la.

Por fim, o aspecto temporal deve ser considerado. Isso porque, utilizando-o, será muito mais fácil de averiguar resultados e, se necessário, propor melhorias e realizar ajustes no plano estratégico.

De que forma o KPI pode me ajudar a lucrar mais?

Quando se tem um conhecimento preciso sobre quais são as áreas de uma empresa que necessitam de melhorias, as tomadas de decisões se tornam muito mais fáceis. 

Com a implementação dos KPIs, torna-se possível avaliar, a partir de dados reais, quais são os passos necessários para atingir o sucesso de um negócio e lucrar mais. 

Pode-se trabalhar com metas que condizem com a situação atual do mercado, otimizar processos, entender melhor o contexto financeiro da empresa e, consequentemente, reduzir gastos sobressalentes, além de muitas outras vantagens.

Agora que você já sabe da importância de implantar KPIs para melhorar a gestão de uma empresa, por que não começar hoje mesmo a colocá-los em prática?

Não deixe de ler nossos outros posts para mais dicas de empreendedorismo e planejamento financeiro

quais são os impostos federais

Impostos federais que empresas não podem deixar de pagar em 2021

Quando o assunto é empreender, existem algumas questões que precisam ser avaliadas pelos empreendedores. Uma delas são os impostos federais que precisam ser pagos anualmente para manter a empresa em funcionamento regular.

Mas você sabe, de fato, quais são os impostos que as empresas precisam pagar por ano? Nesse post iremos listar alguns deles para seu entendimento. Veja a seguir!

7 impostos federais que as empresas precisam pagar

Antes de abordar quais são os impostos federais que cada empresa paga, é essencial considerar o regime tributário que cada empresa se encaixa. Isso porque este é um fator determinante para definir quais desses impostos serão, de fato, essenciais para a empresa.

Por exemplo: no caso de empresas que se enquadram no MEI (microempreendedor individual), diversos desses impostos abaixo não são cobrados. No entanto, você precisa saber também que para se enquadrar nesse regime você não pode ultrapassar o faturamento de R$ 81.000,00 mensais.

os principais impostos federais

Veja a seguir os principais impostos federais pagos pelas empresas. | Imagem: Freepik

Veja a seguir os principais impostos federais a serem pagos pela empresa em 2021:

  1. Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS)

O primeiro imposto da lista refere-se às responsabilidades dos municípios e será de acordo com os serviços prestados pela empresa. Com isso, os tributos terão variáveis entre 2% e 5%.

  1. Programa de Integração Social (PIS/PASEP)

A contribuição de PIS/PASEP é um imposto pago pelas empresas mensalmente e o seu principal objetivo é garantir o fundo para pagamento do Seguro Desemprego e do abono anual. Vale ressaltar que este valor é pago pela empresa, e não deduzida do salário do colaborador.

Existem três modalidades para definir a contribuição para o Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/PASEP). São eles: sobre o faturamento, importação e sobre a folha do pagamento.

  1. Previdência Social (INSS)

A previdência social é mais um imposto importantíssimo que deve ser pago pelas empresas. Isso porque ele é o responsável tanto pela aposentadoria dos colaboradores, como também pelo auxílio-acidente, auxílio-doença, salário-família, salário-maternidade e pensão por morte.

  1. Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

Esse é um imposto federal que, caso sua empresa opte pelo Simples Nacional, não será necessário pagar por ele. No geral, o COFINS possui alíquotas variáveis entre 3% e 7,6% e é direcionado ao financiamento de programas sociais.

  1. Imposto sobre a Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS)

O ICMS é mais um dos impostos federais que são recolhidos mensalmente e será definido de acordo com o Código Nacional de Atividade Econômica (CNAE) de cada empresa. Neste caso, as alíquotas poderão variar entre 7% a 18%.

  1. Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ)

Esse é um dos impostos federais mais conhecidos e que devem ser pagos por todas as empresas da seguinte forma: 15% sobre o valor total adicionado a 10% do lucro mensal que exceder R$ 20.000,00.

  1. Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)

Por último, mas não menos importante, podemos citar o imposto CSLL que se refere ao imposto federal que é cobrado em cima do lucro líquido da empresa, sendo calculado com os valores a seguir: 9% para pessoa jurídica e 15% para instituições financeiras.

Bom, é isso! Esses são os principais impostos federais que as empresas precisam pagar para funcionar de forma regular. No entanto, como dissemos anteriormente, não se esqueça de conferir com um contador de confiança qual o imposto que sua empresa deve, de fato, assumir.

No mais, caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre esse assunto, não deixe de comentar em nosso post. E se quiser mais dicas e informações como essa, continue acompanhando o nosso blog. Nos vemos por aqui!

micro-momentos

Micro-momentos: saiba o que são e o impacto deles para seus clientes

As estratégias de marketing são um ponto-chave para ajudar a alavancar qualquer negócio. Assim, para alcançar os resultados desejados, é preciso estar antenado nas tendências e novidades que surgem nessa área. Dentro desse contexto, estão os micro-momentos.

Você sabe o que significa esse termo e como usá-lo para impactar seus clientes? Acompanhe o post a seguir para entender melhor sobre esse tema!

O que são micro-momentos?

Com o crescente acesso à informação, o processo de compra do consumidor mudou. Diferentemente de décadas atrás, as pessoas têm pesquisado, cada vez mais, sobre um produto ou serviço antes de adquiri-lo.

De acordo com o Google, durante os períodos de busca até a decisão de realmente comprar algo, é que estão situados os micro-momentos.

Tais micro-momentos ocorrem, em sua grande maioria, através dos smartphones. Isso porque esses aparelhos são práticos e acompanham seus usuários durante todo o dia. Além disso, ajudam, de forma bastante ágil, a resolver as necessidades específicas que surgem instantaneamente.

As etapas que compreendem os micro-momentos foram divididas em quatro categorias, são elas:

– Eu quero saber
– Eu quero ir
– Eu quero fazer
– Eu quero comprar

1. Eu quero saber

Essa é a etapa em que o consumidor está buscando por informações. Geralmente, esse momento é motivado por uma curiosidade, um desejo de saber mais sobre um determinado assunto.

Assim, sites e blogs que trazem informações e conteúdos bem elaborados podem atrair as pessoas com maior facilidade.

2. Eu quero ir

Aqui o consumidor manifesta a vontade de se deslocar a algum lugar. Um exemplo disso é quando busca-se saber a localização de uma loja ou serviço. Desse modo, plataformas e aplicativos que oferecem tais dados conseguem tirar grande vantagem desse micro-momento.

3. Eu quero fazer

Como o próprio nome já diz, é aquele em que o usuário procura formas de aprender a fazer algo. Sites e vídeos com tutoriais são os mais procurados pelos indivíduos que estão nesse micro-momento.

4. Eu quero comprar

É nessa fase que o consumidor manifesta, de fato, o desejo de compra. Assim, suas buscas estarão direcionadas a itens ou serviços específicos, por exemplo: “notebook 15 polegadas preço”.

Como utilizar os micro-momentos a fim de impactar meus clientes?

Primeiramente, é preciso entender quais as principais características do seu público-alvo. Dessa forma, será mais fácil criar conteúdos e campanhas que os atraiam.

Ferramentas como o Google Search Console podem ser grandes aliadas. Isso porque elas são capazes de gerar relatórios que indicam em que tipos de pesquisas seu site ou blog costuma aparecer com mais frequência.

Esteja ativo nas redes sociais. Um bom conteúdo e uma taxa de resposta rápida podem ajudar e muito na decisão do cliente ao fechar uma compra.

Otimize suas páginas para que funcionem com a mesma qualidade tanto em smartphones quanto em desktops. Para isso, melhore a velocidade de carregamento das páginas, o design e a disposição dos textos.

Que tal colocar hoje mesmo essas dicas em prática e obter ainda mais sucesso em seu negócio?

Não deixe de acompanhar outros posts sobre marketing e vendas em nosso blog! Até logo!